Ano de referência para o sono: Líder em medicina do sono e respiratória destaca as 5 principais descobertas em pesquisa sobre a apneia do sono

SAN DIEGO, 14 de março de 2014 –Para coincidir com o Dia Mundial do Sono comemorado hoje, a ResMed (NYSE: RMD), uma empresa inovadora e pioneira no desenvolvimento de soluções para o tratamento de distúrbios respiratórios do sono e outras doenças respiratórias, destaca suas opções para as cinco principais descobertas em pesquisa sobre a apneia do sono no ano passado. Juntas, elas pintam um quadro alarmante: a apneia do sono está em ascensão e associada à morte súbita cardíaca, recuperação mais lenta de ataques cardíacos, ao câncer e hipertensão arterial.

1. A apneia do sono está associada a taxas de câncer maiores

A apeia obstrutiva do sono (AOS) priva o corpo de oxigênio (também conhecida como hipóxia), o que pode levar a taxas de câncer mais altas em pacientes com idade inferior a 65 anos. A AOS ocorre quando a garganta relaxa durante o sono e bloqueia as vias respiratórias, provocando o ronco e/ou uma parada respiratória até que o cérebro desencadeie uma resposta de acordar e o corpo se esforce para respirar.

[Association between Obstructive Sleep Apnea and Cancer Incidence in a large multicenter Spanish Cohort (Campos-Rodriguez et al., 2013 Am J of Respir Crit Care Med)]

2. A apneia do sono aumenta o risco de morte súbita cardíaca

"O oxigênio é a nossa corda de segurança", afirmou Adam Benjafield, Ph.D., vice-presidente de Assuntos Médicos da ResMed. "Quando o nosso corpo é privado de oxigênio durante os episódios de apneia do sono, uma longa lista de consequências negativas para a saúde podem ocorrer. As pesquisas mostram que aqueles que sofrem de apneia do sono correm um maior risco de morte súbita cardíaca, simples assim."

[Obstructive sleep apnea and the risk of sudden cardiac death: A longitudinal study of 10,701 adults. (Gami et al., 2013 J Am Coll Cardiol.)]

3. A apneia do sono não tratada retarda a recuperação de ataques cardíacos

"Este estudo é importante porque demonstra que se você tiver um ataque cardíaco e sofrer de apneia do sono não tratada, o seu coração não vai se recuperar de forma tão eficaz quanto o coração de alguém sem apneia do sono," afirmou Benjafield.

[Impact of sleep-disordered breathing on myocardial salvage and infarct size in patients with acute myocardial infarction. (Buchner et al., 2013 Eur Heart J.)]

4: O tratamento para a apneia do sono pode reduzir a pressão arterial

O tratamento da apneia do sono com terapia de pressão contínua nas vias respiratórias (CPAP) reduz a pressão arterial em pacientes com apneia do sono. Amplamente aceito como padrão-ouro, o tratamento com CPAP envolve o uso de uma máscara ou um sistema de almofadas nasais conectado a um pequeno gerador de fluxo de ar portátil que fornece ar em pressão positiva, criando uma tala de ar para manter as vias aéreas abertas.

[Effect of continuous positive airway pressure (CPAP) on blood pressure in patients with obstructive sleep apnea/hypopnea. A systematic review and meta-analysis. (Fava et al., 2013 Chest)]

5: A incidência de apneia do sono está aumentando entre homens e mulheres – até 1 em cada 4 adultos

Os dados mais recentes sobre a prevalência de apneia do sono em adultos mostram que as taxas subiram substancialmente ao longo das últimas duas décadas. Entre os adultos de 30-70 anos de idade, estima-se que 13% dos homens e 6% das mulheres tenham apneia do sono de moderada a grave, em comparação com resultados anteriores que apontavam para 9% dos homens e 4% das mulheres. Além disso, o número de pessoas com pelo menos apneia do sono leve saltou tanto nos homens (26 para 34%) quanto nas mulheres (13 para 17%).

[Increased Prevalence of Sleep-Disordered Breathing in Adults. (Peppard et al., 2013 Am J Epidemiol.)]

Juntos, os resultados das pesquisas demonstram que a apneia do sono não tratada pode afetar gravemente a qualidade de vida, saúde e mortalidade. A apneia do sono continua a ser fortemente associada a uma longa lista de doenças crônicas e fatais, como câncer, acidente vascular cerebral, insuficiência cardíaca, hipertensão, diabetes, obesidade e doença da artéria coronária, conforme estes e outros estudos continuam a revelar. A apneia do sono não tratada também está associada à depressão, principalmente em mulheres, e à sonolência diurna, o que aumenta o risco de acidentes no local de trabalho e ao dirigir.

A informação continua a ser um obstáculo fundamental para o tratamento eficaz. Estudos indicam que 85 por cento das pessoas que têm apneia do sono continuam não diagnosticados e não tratadas.

"Não é apenas uma questão de mais horas de sono", afirmou Benjafield. "É uma questão de melhor qualidade do sono, o que se traduz diretamente em uma saúde melhor. A boa notícia é que nunca foi tão fácil fazer o teste e receber tratamento para a apneia do sono."

Se suspeitar que você ou alguém da sua família possa ter apneia do sono, fale com um médico ou profissional de saúde. Os sintomas típicos incluem cansaço constante, dificuldade de concentração, dores de cabeça matinais, humor deprimido, suores noturnos, ganho de peso, falta de energia, esquecimento, disfunção sexual, irritabilidade e micção frequente à noite. Para obter mais informações ou para responder um rápido questionário sobre o sono, visite www.WakeUpToSleep.com.

Sobre a ResMed

A ResMed transforma vidas, através do desenvolvimento, da fabricação e da distribuição de equipamentos médicos para o tratamento, o diagnóstico e a gestão de distúrbios respiratórios do sono, DPOC e outras doenças crônicas. Desenvolvemos produtos e soluções inovadores para melhorar a saúde e a qualidade de vida daqueles que sofrem com esses problemas, e trabalhamos para aumentar a conscientização sobre as graves consequências para a saúde que podem resultar de distúrbios respiratórios do sono não tratados. Para obter mais informações sobre a ResMed, visite www.resmed.com.