A respiração pela boca é um problema comum entre os usuários dos tratamentos CPAP e binível. De fato, aproximadamente 40% dos usuários de CPAP e quase todos os usuários de pressão binível sofrem de respiração bucal e de vazamentos de ar pela boca1,2,3. Apesar das rinopatias crônicas serem uma causa comum da respiração pela boca, a maioria dos pacientes experimentam vazamentos pela boca de forma intermitente. Os resfriados, as alergias e o consumo de álcool podem, em um determinado momento, afetar o tratamento.

A respiração pela boca provoca um fluxo de ar unidirecional importante e evita que o ar úmido dos pulmões passe pela mucosa nasal. Isto provoca o ressecamento da mucosa, a congestão nasal e sintomas de um estado gripal ao despertar na manhã seguinte.

Ciclo do Vazamento de Ar pela Boca

Um aumento dos sintomas nasais pode agravar a SAOS e provocar uma maior resistência da via respiratória nasal. Isto, por sua vez, conduz ao aumento da respiração bucal, o qual perpetua o ciclo.

O resultado é uma perda da eficácia do tratamento, uma perda da comodidade e um sono interrompido4, o que pode levar a uma deterioração no cumprimento do tratamento e, em última instância, à perda de pacientes em tratamento.

 

Uma máscara orofacial cobre tanto o nariz quanto a boca, de modo que continua propiciando um tratamento eficaz mesmo com a presença de respiração ou vazamento pela boca.

É possível que muitas pessoas tenham de utilizar a máscara orofacial todas as noites.

A máscara orofacial não é nada mais do que uma nova máscara de uma linha de produtos que a ResMed desenvolveu para ajudá-lo a identificar e controlar os vazamentos de ar pela boca. Temos dispositivos CPAP, de auto-avaliação e binível que:

  • registram os níveis de vazamento de ar durante toda a noite
  • adaptam-se automaticamente às mudanças nos níveis de vazamento
  • proporcionam opções de umidificação integrada para minimizar o ressecamento nasal decorrente dos vazamentos pela boca.

 

Como saber quais de seus pacientes sob pressão positiva das vias respiratórias precisarão de uma máscara orofacial?

Dedique alguns minutos para fazer as seguintes perguntas a todos os seus pacientes —

  1. Costuma despertar com a boca e/ou a garganta secas?
  2. Tem tendência a respirar pela boca (em vez de fazê-lo pelo nariz)?
  3. Sofre de alergias ou de febre do feno/rinite alérgica?
  4. Costuma ficar com o nariz tapado ou congestionado em certas épocas do ano?
  5. Alguma vez já fraturou o nariz?
  6. Você tem desvio do septo nasal?
  7. Já sofreu cirurgia nasal?
  8. Você está, atualmente, sob algum tipo de tratamento ou usando medicamento nasal?

    Além disso, no caso de pacientes que já estejam sob tratamento com máscara nasal —

  9. Continua roncando inclusive durante o tratamento?
  10. Utiliza uma queixeira durante o tratamento?
  11. Você tem vazamentos de ar de acordo com os dados que aparecem em seu gerador de ar?

 

Os pacientes que responderem SIM a uma ou mais perguntas poderiam se beneficiar com o uso de uma máscara orofacial. A indicação do uso de uma máscara orofacial pode evitar o não cumprimento do tratamento, já que se pode evitar que os pacientes sofram vazamentos de ar pela boca. Visto que há menos possibilidade de que os problemas voltem, haverá maior possibilidade de que os pacientes fiquem satisfeitos e cumpram o tratamento.

Sistemas de Máscara

Referências
1. Richards et al. Am J Respir Crit Care Med 1996 Jul;154(1):182-186
2. Lojander et al. Act Otolaryngol 1999;119(4):497-502
3. Meyer et al. Sleep 1999 Jul; 20(7):561-9
4. Teschler et al. Eur Respir J 1999 Dec; 14(6):1251-1257
©2000-2013 ResMed. Todos os direitos reservados.